TV LIBERDADE AO VIVO

  Usuários
 


23 de mar de 2017

[Comunidade] Reordenamento no bairro da LIberdade

Hoje (23/03) pela manhã o Vereador Alfredo Mangueira, se reuniu com o Secretario Marcus Vinícius Passos da SEMOP, lideranças e moradores do bairro da Liberdade, para discutir o reordenamento do comercio informal local (ambulantes) e da Feira do Japão.

De acordo com o Vereador Alfredo Mangueira, o que norteou a reunião foi à intenção de priorizar o pedestre. “Não podemos desconsiderar a identidade do bairro da liberdade, o ambulante faz parte da história e do cenário local, e é, uma grande força de geração de renda. Mas, entretanto, os espaços públicos devem ser reordenados para que se traga um maior conforto a locomoção nos passeios e do fluxo do transito no local”, explica. 


Ainda pela manhã o Vereador Alfredo Mangueira acompanhado do Presidente da Limpurb Kaio Moraes, visitou diversos pontos de coleta de lixo do bairro. Onde foram definidas diversas ações a serem executadas nos próximos dias.




21 de mar de 2017

[Curso] Suporte Básico de Vida no Trauma

Suporte Básico de Vida no Trauma – Primeiros Socorros – 20 horas
FRANCISCO BORGES
Em Abril ,
08 e 09 de abril de 2017
Das 8 às 18 horas
Sábado e domingo
VALOR R$ 80,00
Local : auditório B do PAF I da UFBA ONDINA
Inscrições pelo Email
Informações 
Francisco Borges 71 988170566
Carlos Davi 71 992829160
Link whatsapp para Grupo de Inscritos

18 de mar de 2017

[Comunidade] Audiência apresenta resultado do recadastramento dos táxis de Salvador

Evento acontece às 14h do dia 3 de abril, na sede do Ministério Público da Bahia, em Nazaré.
 A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), em parceria com o Ministério Público da Bahia, realizará uma audiência pública para apresentação do resultado do recadastramento realizado no âmbito do Serviço de Transporte Individual de Passageiros por Táxi (Setax) de Salvador e dos encaminhamentos a serem propostos pelos promotores. O evento acontece no dia 3 de abril, às 14h, na sede do Ministério Público, em Nazaré. Na ocasião, estarão presentes o secretário da Semob, Fábio Mota, as promotoras Rita Tourinho e Eliete Viana e representantes da Procuradoria Geral do Município (PGM), dos taxistas e da sociedade civil.
 O recadastramento dos táxis foi realizado no período de 1 de junho a 20 de abril do ano passado, em cumprimento a uma exigência estabelecida no novo Regulamento Operacional, aprovado pelo Decreto Municipal nº 27.096, de 14 de março de 2016.

[Politica] Câmara debate cotas raciais no serviço público

Evento da Comissão de Reparação marca passagem do Dia para a Eliminação da Discriminação Racial

Será nesta terça-feira (21), às 9h, no Plenário Cosme de Farias, a sessão solene regimental da Câmara Municipal de Salvador pela passagem do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. O evento, que tem como tema “Cotas Raciais no Serviço Público: Um desafio para as políticas afirmativas”, é uma iniciativa da Comissão de Reparação e será dirigido pelo vereador Sílvio Humberto (PSB), integrante do colegiado e militante do movimento negro.


[Politica] Segurança e assistência em debate na Câmara

Por iniciativa da vereadora Rogéria Santos (PRB), a Câmara Municipal de Salvador promoveu, na tarde desta sexta-feira (17), audiência pública para debater a segurança pública e a assistência da União, do Estado e do Município.  O evento aconteceu no Plenário Cosme de Farias.
A audiência teve início com a exibição do documentário “Crônica da Dor”, que narra o drama de famílias de detentos do Complexo Prisional da Mata Escura, em Salvador. Ao justificar o trabalho, produzido por sua equipe de mandato, Rogéria Santos disse que o objetivo é fomentar a reflexão.
“Quando pensamos em segurança pública, é preciso pensar em todo o ciclo que leva o indivíduo até chegar ao sistema prisional. É preciso refletir, para que tenhamos um olhar humano para essas pessoas”, disse Rogéria sobre os custodiados. Segundo a legisladora, “o cárcere apaga, desfaz o que foi construído”.

“Quando pensamos em segurança pública, é preciso pensar em todo o ciclo que leva o indivíduo até chegar ao sistema prisional. É preciso refletir, para que tenhamos um olhar humano para essas pessoas”, disse Rogéria sobre os custodiados. Segundo a legisladora, “o cárcere apaga, desfaz o que foi construído”.
Enfatizando os limites da atuação municipal no setor de segurança, a mestre em Gestão Social e Desenvolvimento da UFBA, Izabel Alice de Pinho, defendeu que o tema precisa ser debatido nas comunidades. “A violência não acontece no Estado. Acontece em minha rua, em minha casa”, frisou, propondo que subprefeituras e associações discutam o tema em conjunto com os poderes públicos. 

Comissão na Câmara
 
Como forma de aprofundar a questão da segurança pública, Rogéria Santos salientou o requerimento feito pelo vereador Kiki Bispo (PTB), que visa criar uma comissão especial para tratar do tema. Segundo a vereadora, a iniciativa traria o debate para o âmbito do Legislativo municipal.
Integrante da mesa, o defensor público do Estado da Bahia, Alan Roque Souza de Araújo, falou sobre a responsabilidade municipal. “É perigoso afirmar que não cabe ao Município a responsabilidade pela segurança pública. Ele (o Município) é sim um ator nesta questão”, afirmou. Ainda segundo Alan, é papel da Defensoria Pública “proteger as pessoas mais vulneráveis contra a voracidade do Estado, garantindo e democratizando o acesso à Justiça”.
Ao fazer uso da tribuna, o pró-reitor de pesquisa e coordenador do curso de direito do Centro Universitário Estácio da Bahia, Antônio Jorge de Melo, avaliou a situação enfrentada pela sociedade. “O Estado se perdeu, a família se perdeu e, no geral, as instituições se perderam quando se fala em segurança pública, que é o resultado do que produzimos ao longo dos anos”, pontuou.
Além dos já citados, compuseram a mesa do evento o diretor da Guarda Municipal de Salvador, Maurício Rosa; e o coordenador de Operações da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap), Paulo César Oliveira Reis, representando o secretário Nestor Duarte.  

17 de mar de 2017

[Cidade] Câmara debate violência e falta de vagas em cemitérios

A audiência pública foi realizada nesta quinta-feira (16), às 9h, no Edifício Bahia Center.


O aumento do número de mortes violentas na região metropolitana de Salvador, de acordo com o vereador Orlando Palhinha (DEM), é alarmante. O problema de segurança púbica e a necessidade de ampliar a oferta de vagas nos cemitérios da capital baiana será tema de audiência pública realizada na manhã desta quinta-feira (16), às 9h, no auditório do Edifício Bahia Center, anexo da Câmara Municipal.
Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado, nos primeiros três meses do ano passado foram registradas 400 mortes violentas na capital. Apenas na primeira quinzena de 2017, esse número já alcançou os 100 homicídios.

Violência urbana

“As estatísticas, somadas às de mortes por causa natural, aumentam significativamente a busca por vagas nos cemitérios, principalmente os públicos, no caso das mortes violentas. Esses registros de violência urbana são advindos, principalmente, dos bairros mais populosos, que congregam majoritariamente famílias de baixa renda. Os familiares dos mortos vão em busca de vagas nos cemitérios públicos e precisam esperar dias para conseguir sepultar seus entes queridos”, afirmou o vereador Orlando Palhinha, propositor do debate.
O legislador já apresentou uma série de projetos de indicação, com sugestões para a ampliação da oferta de vagas nos cemitérios municipais. Somente em 2017, Palhinha encaminhou sete proposições que dizem respeito a melhorias, ampliações de vagas e soluções de problemas para os equipamentos públicos de Salvador.
A capital baiana dispõe de dez cemitérios municipais nos bairros de Itapuã, Brotas, Periperi, Pirajá, Plataforma e Paripe e nas Ilhas Paramana, Ilha de Maré, Bom Jesus e Ponta de Nossa Senhora. 

[Homenagem] Rotary Club é homenageado na Câmara

Vereador Paulo Câmara presidiu a sessão especial que marcou a passagem do dia municipal da instituição


Tradição na Câmara Municipal de Salvador, a sessão especial em homenagem ao Dia Municipal Rotary foi celebrada na noite desta terça-feira (14), no Plenário Cosme de Farias. O Rotary Club, instituição internacional sem fins lucrativos, completou 112 anos de fundação em 23 de fevereiro.


O vereador Paulo Câmara (PSDB) presidiu a sessão especial. Antes mesmo de começar a discursar, se comprometeu a apresentar o requerimento para que a solenidade continue a ser realizada pelo Poder Legislativo nos próximos anos.



“Sou neto de Osvaldo Imbassahy, que é rotariano. É um prazer estar aqui hoje. Essa noite não deve se perder. O grande desafio é a renovação, passar para as gerações futuras. A quantidade de pessoas aqui, numa terça-feira à noite, mostra o quanto o Rotary é forte”, elogiou Paulo Câmara.



O autor do requerimento para a realização da solenidade foi o ex-vereador Arnando Lessa, que também propôs o projeto de lei para instituição do Dia Municipal Rotary no calendário oficial da cidade. 



“Esse trabalho que vem sendo desenvolvido é internacional. Muitas das ações do Rotary ainda são desconhecidas e precisamos torná-las conhecidas. O lema é servir. Esse dia municipal ressalta a atuação da instituição em Salvador com seus clubes trabalhando e ajudando as comunidades”, disse Lessa.



De acordo com o presidente do Rotary Club Bahia, Eduardo Barbosa, a comemoração do dia é uma maneira de compartilhar com a sociedade o trabalho desenvolvido nas comunidades. “Com a união de todos, vamos fazer um Rotary cada vez mais forte”, afirmou. 



A amplitude que a instituição conseguiu alcançar em todo o mundo também foi destacada pelo membro do Rotary Club Bahia, Astor de Castro Pessoa: “É a principal Organização Não Governamental do mundo”.
Durante a sessão especial, foi entregue o Troféu Rosalvo Otacílio Torres aos rotarianos que realizaram serviços de destaque em prol da instituição.



História



O Rotary foi fundado em 23 de fevereiro de 1905 pelo advogado Paul Harris, em Chicago, nos Estados Unidos. Ele formou uma das primeiras organizações de serviços do mundo, o Rotary Club de Chicago, lugar onde profissional com conhecimentos distintos poderiam trocar ideias e fazer amizades significativas e duradouras. O nome Rotary surgiu da prática inicial de fazer um rodízio das reuniões entre os escritórios de cada associado. A instituição congrega 1,2 milhão de líderes profissionais e empresários, que executam projetos de prestação de serviços, focando no combate à fome, pobreza, e analfabetismo.


[CMS] Sidninho critica projeto da Escola Sem Partido

Vereador classifica a matéria como censura imposta a professores

O vereador Sidninho (PTN), presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, considera um retrocesso a aprovação do projeto de indicação que obriga as escolas municipais de Salvador a fixarem cartazes nas salas de aula informando direitos e deveres dos professores. A matéria é base para o polêmico projeto Escola Sem Partido, que vem sendo discutido também no Congresso Nacional.
“A proposta determina a robotização dos docentes, que serão impedidos de contribuir com a formação crítica dos alunos e passarão a meros repetidores dos assuntos ditados nos livros. Não podemos colaborar para que nossos jovens estejam à margem da realidade, da ciência e da história real”, contesta.
Conforme explica Sidninho, existe diferença entre indicação e projeto de lei. “A aprovação da indicação segue como sugestão ao Executivo, e com certeza vai figurar como prêmio de consolo aos conservadores que desconhecem a realidade da educação no Brasil”, afirma. 


MP-BA investiga

O vereador recorda que o Ministério Público da Bahia (MP-BA) abriu investigação contra a proposição, em ação movida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB). 
Segundo o documento do MP, o objetivo é apurar eventual violação aos princípios e normas que regem o direito à educação brasileira. “Querem doutrinar as famílias através do medo, espalhando a falsa ideia que a educação moral repassada pelos pais dos alunos está sendo desrespeitada pelos professores. Defendemos que o debate pode ser ampliado em sala de aula, sim, para que os alunos entendam a realidade à sua volta”, pontua, destacando a importância dos professores na formação do caráter dos alunos e rejeitando o que classifica como “censura imposta aos docentes”. 


[CMS] Câmara debate doenças raras em sessão especial

Leo Prates prometeu continuar a luta pelas pessoas com deficiência

Associações, pacientes e familiares de portadores de doenças raras se uniram na sessão especial realizada na tarde desta quinta-feira (16), no Plenário Cosme de Farias, para debater sobre políticas públicas, desafios e dificuldades para o diagnóstico e tratamento das patologias. Propositor da solenidade, o presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Leo Prates (DEM), destacou o trabalho realizado pelas instituições e prometeu dar continuidade à luta pelas pessoas com deficiência.
“É o norte da minha atuação enquanto vereador de Salvador. Possibilitar acesso à educação e dar dignidade às pessoas com qualquer tipo de deficiência é a principal missão do meu mandato. Entendo que dar luz à questão das doenças raras, esclarecer a população, é uma questão prioritária”, afirmou Leo Prates, ao lembrar que a Câmara instituiu como permanente a Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência.
A Associação Baiana de Amigos da MPS (Abamps), a Associação Niemann-Pick Brasil (ANPB) e a Associação Baiana de Portadores de Doenças Inflamatórias Intestinais (ABADII) marcaram presença na sessão especial.


Desafios



Os desafios para a implantação da Política de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no Brasil foram enumerados por Angelina Acosta, professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia. “Existe um grande desconhecimento por parte de pacientes e profissionais. As doenças raras envolvem várias patologias e especialidades médicas”, pontuou.

Médico geneticista e mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal da Bahia, Diego Miguel falou sobre as dificuldades no diagnóstico e no tratamento das doenças raras. “São grandes os desafios. São 3.500 atendimentos anuais com 600 novos pacientes por ano. O número de patologias com terapia específica ainda é muito limitado”, lamentou.
Também participou da mesa da sessão especial o vereador Cezar Leite (PSDB), outro que milita em favor das pessoa com deficiência. “É musica aos meus ouvidos quando vejo todos chegarem aqui e agradecerem aos profissionais de saúde que trabalham de forma digna com amor e carinho. Sou pai de dois filhos portadores de doenças raras. O amor é atemporal. É uma missão de Leo Prates e que faz muito bem a nossa sociedade. Foi uma missão que também abracei e espero contribuir com o meu mandato”, afirmou.
Além dos vereadores Leo Prates e Cezar Leite e dos médicos Angelina Acosta e Diego Miguel, a mesa da sessão especial foi composta por Márcia de Oliveira, da Abamps; Maria Helena de Magalhães Dourado, da ANPB; e pela advogada Vanessa de Matos Ferreira, ABADII.

[Comunidade] Prefeitura promove mutirão de combate ao Aedes em Itacaranha nesta sexta (17)

O Centro de Controle e Zoonoses (CCZ), órgão vinculado à Secretaria Municipal da Saúde de Salvador, realiza nesta sexta-feira (17), das 8 às 12h, um mutirão de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, em Itacaranha, no Subúrbio Ferroviário. A mobilização acontece em parceria com a Limpurb e a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps),
Serão visitadas as ruas Pedra Azul, Eunice Moreira, Almeida Brandão, São Pedro, Almeida, Rio Caquende, além da Avenida Afrânio Peixoto. O ponto de encontro será na Paróquia de Escada. Conforme decidido no Comitê Municipal de Arboviroses, o objetivo é visitar as casas nas regiões apontadas com os maiores índices de infestação, com base no Levantamento do Índice de Infestação Predial (LIRA).
"Vamos fazer a varredura, dar orientação e realizar a borrifação com inseticida para diminuir a infestação do vetor na fase adulta, para reduzir o risco de transmissão das doenças”, explica Isabel Guimarães, coordenadora de Vigilância e Saúde de Salvador. Durante a ação, os moradores das localidades devem colaborar com a iniciativa e descartar entulhos e materiais inservíveis que podem ser colocados em frentes as suas casas para recolhimento.